Designed by jcomp / Freepik
Designed by v.ivash / Freepik

Você já se deparou com alguma dessas manchetes?

“Dieta do suco pode emagrecer até 10 quilos em um mês”

“Nova dieta seca 3 quilos em uma semana”

“Turbine o metabolismo e coloque-o ao seu favor com esta dieta”

Certamente, esta não será a primeira e nem a última vez que você lerá tais manchetes. Nas revistas e na internet, as matérias sobre dietas restritivas afirmam que, se a pessoa seguir passo a passo tudo que é proposto, ela atingirá o seu principal objetivo; perder peso.

Contudo, o que muitos não sabem é que essas dietas não surtem efeito, pois o organismo fica carente de calorias e nutrientes. Ademais, você pode até perder alguns quilos nas primeiras semanas, mas, com o passar do tempo engorda novamente, deixando a sua autoestima baixa.

Se você não está convencido que as dietas restritivas são nocivas para o organismo, nas linhas a seguir, mostraremos 7 motivos para você não adotar as dietas restritivas de forma alguma. Confira!

1. Não surtem o efeito esperado

De acordo com estudos feitos pela médica Sophia Deram, Doutora em Endocrinologia pela Faculdade de Medicia da Universidade de São Paulo (USP), 95 % das pessoas que se submetem a dietas restritivas voltam a engordar e, em alguns casos, ganham mais peso do que tinham antes de adotar um programa de alimentação com diversas restrições.

Nesse momento, você deve estar se perguntando: “Os outros 5% foram bem sucedidos na dieta, certo?”

Errado.

Sophia Deram também apurou na mesma pesquisa que 5% dos indivíduos que adotam dietas restritivas desenvolvem transtornos alimentares, como anorexia e bulimia, e problemas psicológicos, como a depressão.

2. Causam sentimento de culpa e reduzem a autoestima

Pessoas que adotam dietas que proíbem o consumo de uma série de alimentos estão propensas a cometer deslizes, ou seja, em algum momento, comerão algum gênero alimentício rico em carboidrato, gordura ou açúcar. Dessa maneira, surge o sentimento de culpa, pois o indivíduo pensa que o esforço empreendido para seguir a dieta foi em vão. Adotar uma programa de emagrecimento radical traz expectativa irreais, pois você é um ser humano e, como tal, está suscetível a cometer erros.

O sentimento de culpa provocado pelo “descumprimento” das regras da dieta faz que você fique com a autoestima baixa. Isso porque, ao classificar alimentos como “bons” ou “ruins”, surge a ideia que seus hábitos alimentares são um reflexo do caráter de um indivíduo. De forma nenhuma você deve ficar com o sentimento de culpa pelo que come, principalmente quando se trata de algo que você não consome com frequência.

3. Prejudicam o metabolismo

A adoção de dietas restritivas pode causar o “efeito sanfona”, isto é, você fica emagrecendo e engordando. A consequência disso é a redução do metabolismo, dificultando a perda de peso a longo prazo. Sendo assim, a falta de fornecimento de combustível suficiente para o nosso corpo faz com que o mesmo armazene energia para garantir funções vitais, o que não contribui para o emagrecimento.

4. Provocam sentimento de fome constante

Uma vez que você adota uma dieta restritiva, sente fome constantemente. Um dos motivos disso ocorrer é porque a alimentação consumida não é suficiente para manter o organismo em pleno funcionamento.

Outra razão para esse fome constante é que a restrição de calorias causa a elevação do nível da grelina, hormônio que faz o estômago revirar quando estamos com fome. Quando nos encontramos nesse estado, é muito difícil se controlar para não comer tudo que encontramos pela frente.

5. Demandam tempo e custam caro

Dietas nas quais a pessoa não pode consumir alimentos que contêm glúten, lactose, açúcar, sal, cereais e carnes e que tudo deve ser pesado na balança é bastante trabalhoso. Isso porque não é fácil encontrar itens que não contenham os compostos mencionados acima. Quando isso acontece, eles estão disponíveis em estabelecimentos específicos e por um preço bastante elevado.

Além disso, você gastará bastante tempo pesando e fracionando alimentos para preparar as suas refeições, provocando um pouco de paranoia com a quantidade de alimento ingerida. Com o passar do tempo, todo esse empenho não se sustentará, pois não se encaixará no seu bolso, nem na sua rotina.

6. Fazem com que ignoremos as necessidades do corpo

A adoção de uma dieta restritiva pode fazer com que deixemos de ouvir o que o nosso corpo tenta nos dizer. Não estamos dizendo que você deve sucumbir aos desejos de comidas pouco saudáveis , mas é preciso ter cuidado para não deixar suas necessidades orgânicas de lado.

Fique atento aos sinais enviados pelo organismo para saber como lidar com eles de maneira consciente. Desse modo, você entenderá com o seu corpo funciona e, consequentemente, será mais fácil o momento certo de se alimentar e os gêneros alimentícios adequados para isso.

7. Passam a ideia que comer é um sacrifício

A comida faz parte da organização do ser humano tanto no âmbito da sociedade quanto da identidade. Quando ela se transforma em uma quantidade de pontos ou frações que jamais devem ser ultrapassadas, o ato de comer se torna um sacrifício e, com isso, perdemos a noção de que se alimentar deve ser prazeiroso.

Se você pretende perder peso, deve colocar o peso em segundo lugar e se concentrar na alimentação, de modo a escolher gêneros alimentícios que supram as suas necessidades orgânicas. Dietas mirabolantes não surtem efeito, mas sim reeducação alimentar. Se você quer emagrecer sem prejudicar a saúde, procure um nutricionista para lhe orientar durante esse processo.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here